ARMÊNIA-BRASIL

Home

Minha História

Alfabeto

Cultura

Contos Épicos

David de Sassun

Dicionário
Armênio-Português

Dicionário
Português-Armênio

Genocídio

História

Khent

Links

Mapa

Publicações

Alfabeto armênio

 

No ano 404 D.C. o monge Mesrob Machdodz  inventa o alfabeto armênio com apenas 36 letras.

Até aquela data os Armênios, não tendo alfabeto usavam as letras gregas e siríacas. No século XI foram acrescidas as duas últimas letras.

A língua Armênia pertence ao ramo indo-europeu e é dividida em duas. Há o Armênio oriental, falado na Armênia, e o Armênio ocidental falado na Diáspora. A língua é a mesma, somente a pronúncia difere. Por exemplo, na diáspora nos dizemos “o Rei Dikran” enquanto na Armênia dizem “o Rei Tigran”.

Usarei daqui em diante a escrita ocidental. Como podem reparar há muitas letras que nos não temos o equivalente em português. Por isso vou reproduzir a tabela que eu elaborei no “Pequeno Dicionário PORTUGUÊS-ARMÊNIO” (que está a venda na Secretaria da Igreja Católica Apostólica Armênia de São Paulo, sita a Avenida Santos Dumont, 55 e cuja receita reverte em totalidade para a Igreja e/ou a Escola).

  • ë  terá a pronúncia do “e” francês como, mais o menos, em livre, être.

  • ü terá a pronúncia do “u” francês como, mais o menos, em tu, mur, sur.

  •  kh terá a pronúncia do “j” espanhol como, mais o menos, em jamon

  •  gh terá a pronúncia do “rr” português como, mais o menos, em garrafa.

  •  h terá a pronúncia do “h” inglês como, mais o menos, em hot.

 

Agora vou terminar com uma pequena frase:

(a pronúncia) : Mairig, intch bes es, lav es.

(tradução): Mamãe, você vai bem?

Falando de Mayrig, espero que vocês já tenham lido esse magnífico livro de Henri Verneuil que também está a venda na Igreja Católica Apostólica Armênia.

 

Observação: Para escrever com os caracteres armênios utilizados nesta página, é necessário instalar a fonte BARZ.